Ao estudar a estrutura microscópica do tecido do fígado (histologia do fígado), é possível avaliar as várias anormalidades geralmente encontradas na colangite esclerosante primária (CEP). Isso pode ajudar a determinar a gravidade e a progressão da CEP. A histologia do fígado é geralmente avaliada em termos de grau e estágio. O grau representa a gravidade do processo de doença subjacente, que é medida pelo grau de inflamação e necrose (morte das células do fígado). O estadiamento representa a progressão da doença, que é medida pelo grau de cicatrização (fibrose) e cirrose encontrado no fígado.

 

A baixa prevalência de CEP e seu curso de doença crônica dificultam a avaliação de parâmetros clínicos sólidos, como o transplante de fígado ou morte. Portanto, parâmetros substitutos ou alternativos, como o Mayo risk score e outros marcadores bioquímicos e clínicos, são atualmente utilizados em ensaios clínicos para CEP. Infelizmente, esses parâmetros alternativos ainda não foram validados para CEP.

 

Não há sistemas específicos de pontuação histológica disponíveis para avaliar o grau e o estágio da CEP. Este estudo foi desenvolvido para determinar se os sistemas de pontuação desenvolvidos para outras doenças do fígado poderiam ser usados para avaliar a gradação/estadiamento da CEP.  Especificamente, o objetivo foi avaliar se esses outros sistemas de pontuação eram de valor prognóstico em predizer o resultado da CEP. Em tal caso, a histologia do fígado poderia tornar-se importante para a avaliação da eficácia do tratamento em ensaios clínicos terapêuticos e poderia ser utilizada como um parâmetro alternativo.

 

Utilizamos o sistema Ishak (originalmente desenvolvido para a hepatite crônica), o sistema de Ludwig (originalmente concebido para a colangite biliar primária (CBP)), e um sistema mais recente proposto por Nakanuma, também concebido para CBP. A vantagem do sistema de pontuação de Nakanuma é que ele leva em conta características histológicas compartilhadas com a CEP. Três parâmetros foram definidos para medir o resultado da CEP: 1. Sobrevivência sem transplante (uma combinação de mortes relacionadas a CEP, transplante de fígado e desenvolvimento de colangiocarcinoma) 2. Somente transplante de fígado 3. Desenvolvimento de sintomas relacionados com cirrose.

 

Sessenta e quatro pacientes holandeses do coorte do projeto holandês ‘Epi PSC PBC’ foram incluídos (10 pacientes foram diagnosticados com CEP de pequenos ductos). Todos os pacientes foram submetidos a uma biópsia do fígado para estabelecer o diagnóstico de CEP. Havia 40 homens e 24 mulheres. Quarenta e três pacientes foram diagnosticados também com doenças inflamatórias intestinais, sendo a colite ulcerativa a mais comum. Onze pacientes chegaram a um desfecho durante o período do estudo; três foram diagnosticados com colangiocarcinoma (dois morreram) e oito pacientes foram submetidos a um transplante de fígado.

 

Com esse estudo, os investigadores demonstraram que os três sistemas de estadiamento são indicadores preditivos de ambos desfechos: 1 – Sobrevivência sem transplante; e 2 – transplante de fígado. O sistema de estadiamento de Nakanuma parecia ter o mais forte valor preditivo. A explicação para isso pode ser que esse sistema inclui características específicas para CEP. Todos os três sistemas de estadiamento indicavam que o grau de fibrose é um parâmetro importante para prever o provável curso da doença. 

 

Para avaliar se a bioquímica hepática pode refletir o grau de lesão hepática medida pela biópsia do fígado, os pesquisadores realizaram análises exploratórias para determinar correlações entre a bioquímica do fígado e o grau/estágio histológico. Nenhuma correlação forte foi encontrada. Segundo os pesquisadores, isso sugere que a bioquímica hepática não reflete adequadamente o grau da lesão histológica. Eles citam um estudo recente de Queen et al. que também demonstrou que os pacientes de CEP poderiam ter piorado severamente mesmo com a bioquímica hepática normal.

 

Vários estudos, incluindo o presente, indicam que a progressão, e até a melhoria do grau/estágio histológico, pode ser avaliada por uma biópsia do fígado. Este estudo demonstra que analisar a histologia hepática tem valor prognóstico para determinar a evolução da doença. A histologia do fígado pode, portanto, ser considerada um marcador útil para avaliar a progressão da doença na CEP.

 

Embora tenham registado e discutido sobre as limitações do estudo, os pesquisadores argumentam que a aplicação dos sistemas de estadiamento de Nakanuma, Ishak e Ludwig para CEP é viável e clinicamente relevante.  A histologia pode ser útil para servir como parâmetro alternativo em estudos clínicos de CEP, mas mais pesquisas em maiores coortes multicêntricos são necessárias para validar esses resultados atuais.

 

O autor deste artigo para leigos é o Dr. Elisabeth MG de Vries (AMC Amsterdam, NL)

Editor: Valmae Y

Tradutora: Luciana L Jesus

Fevereiro de 2016

 

Esta versão é baseada no seguinte artigo completo:

 

Aplicabilidade e valor prognóstico dos sistemas histológicos de classificação da colangite esclerosante primária

J Hepatol. 2015 Nov; 63 (5): 1212-9. doi: 10.1016 / j.jhep.2015.06.008. Epub 2015 Jun 18.

 

Elisabeth M.G. de Vries1, Joanne Verheij2, Stefan G. Hubscher3, Mariska M.G. Leeflang4, Kirsten Boonstra1, Ulrich Beuers1, Cyriel Y. Ponsioen1,

 

1 Department of Gastroenterology and Hepatology, Academic Medical Center, Amsterdam, The Netherlands; 2 Department of Pathology,

Academic Medical Center, Amsterdam, The Netherlands; 3 School of Cancer Sciences, University of Birmingham and Department of Cellular

Pathology, Queen Elizabeth Hospital, Birmingham, United Kingdom; 4 Department of Clinical Epidemiology, Biostatistics and Bioinformatics,

Academic Medical Center, Amsterdam, The Netherlands

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Glossário

 

Bioquímica hepática:  um grupo de testes de sangue que detecta a estase biliar e danos das células do fígado

 

Correlação: uma medida estatística que indica a medida em que duas ou mais variáveis ​​flutuam em conjunto

 

Eficácia: a capacidade de produzir um resultado pretendido ou desejado

 

Fibrose: o espessamento e a cicatrização do tecido conjuntivo (estadiamento)

 

Grau: medição histológica da gravidade do processo da doença subjacente, tal como medido pelo grau de atividade necro-inflamatória (medido com uma escala categórica)

 

Histologia:  o estudo científico pormenorizado de células e de tecidos biológicos utilizando microscópios para observar amostras de tecidos que foram cuidadosamente preparados utilizando processos especiais chamados “técnicas histológicas”

 

Histopatológico: exame microscópico do tecido, a fim de estudar as manifestações da doença.

 

Atividade necro-inflamatória: reflete o grau de necrose e inflamação

 

Necrose: morte de células

 

Prognóstico: relativo a ou que serve para prever o curso provável de uma condição médica

 

Estadiamento: medida histológica da progressão da doença, que é medida pelo grau de cicatrização (fibrose) e cirrose encontrado no fígado

 

Validação:  um processo pelo qual é avaliada a fiabilidade da precisão ou a solidez de um sistema ou instrumento de coleta de dados (como estadiamento, questionários e assim por diante)

 

 

Este artigo é livre de direitos autorais se:

 

1   Mencionar ´Um artigo da PSC Patients Europe (PSCPatientsEurope.org)’

2   Enviar o link/cópia para a PSC Patients Europe pelo e-mail info@PSCPatientsEurope.org

 

Todos os dados sobre a divulgação deste artigo serão repassados ao autor, assim como a outros pesquisadores e interessados. Isso contribui para a nossa missão de disponibilizar amplamente para o público em geral versões para leigos.

 

Se você tem perguntas ou comentários sobre este artigo, envie um e-mail para info@pscpatientseurope.org. Você gostou de ler este artigo? Agradecemos se você puder “curtir” a página do Gostaríamos que se pudesse “como” a página da PSC Patients Europe no Facebook, bem como a publicação que contém o artigo. Sua doação para a PSC Patients Europe também seria muito bem-vinda. O autor será informado de seu feedback e de suas “curtidas”.